quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O MOF 5 FOI ASSIM...

Muito obrigado a todos mais uma vez...Já esta mais que provado a força que temos, em um fim de semana onde o estado do Rio de Janeiro, e um lugar específico, ( Complexo do Alemão ) se tornava pai de todo mal, onde todas as lentes se encarregavam de focar, e os veículos de comunicação se empenhavam em bitolar, logo ali no quase outro extremo dessa guerra, a apenas 20 minutos em operação simultanea acontecia a invasão na vila operária, mas de forma diferente e menos interessante pra mídia, não fora televisonada, mas quem esteve presente sabe, revolução e transformação, não se faz com guerras e armas e sim com disposição e sede mudança, um simples traço tem a capacidade de mudar a geografia de uma viela, um minuto de confiança em uma criança pode surtir um efeito de proporções ainda não calculadas, e uma comunidade que recebe a presença de mais de 300 artistas durante um caos eminente, tem a capacidade de entrar pra história.


Meeting Of Favela...Você também faz parte.


Muito obrigado a todos amigos e parceiros do maior encontro de graffiti voluntário do mundo!!!

A quinta edição do MOF - Meeting Of Favela, o maior encontro de graffiti voluntário do mundo, aconteceu mais uma vez na comunidade de Vila Operária, Duque de Caxias promovendo a arte e a paz em meio a um clima tenso no Estado do Rio de Janeiro.Como diversas regiões do Rio a Baixada Fluminense também sofreu com os conflitos, mas no domingo na Vila Operária reinava a paz e as latas de spray em ação.

Os grafiteiros da Posse 471 anfitriões do encontro receberam artistas de toda a Baixada, Rio, São Paulo, Minas Gerias, Amazônia e Chile que coloriram o local mais uma vez. Os moradores conferiram os serviços sociais oferecidos pelo SESC além do espetáculo de circo.

"Temos a obrigação de mostrar que somos bem maiores que essa maquiagem que estão fazendo no Complexo do Alemão” diz Borg, da OH Crew, de São Gonçalo, que está presente todo ano. “Agora só mostram a guerra, o MOF está sendo a contradição, aqui nessa favela hoje tem música, cultura, arte, vida” diz um grafiteiro morador de Lote XV Belford Roxo. “O graffiti é uma resistência, agora que era hora de sairmos para a rua... dou aula há 12 anos em favela e o graffiti é uma contribuição para a solução de certa forma, pois dá esperança a quem tem essa experiência” diz Reis. “Quando se está pintando esquecemos de tudo, a pintura é para trazer a alegria em momentos de tristeza” disse Krln, que veio de Petrópolis.

Mas o MOF seguiu cumprindo seu papel de reunir nomes do graffiti para um mutirão artístico, Bônus, que veio de Manaus, conheceu o encontro pela internet através de amigos e se preparou para estar presente pela primeira vez este ano: “Aqui você adquire conhecimento e também um reconhecimento, é bom ver pessoalmente os caras que pintam bem”. A grafiteira Perera, de Belo Horizonte, ficou impressionada com o movimento e também marcou a data, sem pensar em adiar: “Esse lance em que vinha muitos grafiteiros e era só chegar e pedir os muros achei incrível”.

“O Rio tem a arte bem apurada, gostei muito do trampo do Combo”, disse Ti, de São Paulo. “O MOF é muito além do graffiti, é um encontro forte” disse Che, também de São Paulo. Seu amigo Estopa completa “Gosto do lance do coletivo, pois não existe nenhuma obrigação de vir, nós viemos por que queremos fazer parte disso”.

Ainda rolou apresentação do MC Coe, shows com Durango Kid e Sistah, a Batalha do Real e o lançamento da campanha da Artefeito para 2011 - Arte P.E.N.SE. – Graffiti por uma educação não sexista – onde as grafiteiras Aila, Muleca pintaram em conjunto com diversos grafiteiros, sem esquecer a luta pela não discriminação de gênero. O grafiteiro da Baixada KDO reflete “O MOF é para a Baixada e para o mundo inteiro uma referencia, uma ocupação de toda comunidade deveria ter”. E o que se ganha com tudo isso, pergunto: “O sorriso na face de quem está pintando e de quem tem o muro pintado, ao contrario da lagrima de quem tem sua comunidade invadida”.

Só pra deixar claro algumas coisas: Ano que vem tem MOF e estaremos novamente em peso no Rio de Janeiro com a galera que organiza e des-organiza o MOF pois, quem realmente faz a parada são todas as pessoas envolvidas, desde a comunidade que sempre nos receberam com muito carinho e respeito pelo que fazemos e pelo que somos (periféricos), pelas correntes de e-maisl que circulam dentro do nosso território nacional - Brasil -  e fora dele e também aos manos: BUNYS, BOBI, KAJAMAN, COMBO, NEXT e a toda a galera do POSSE 471.


Ano que vem tem mais, para maiores informações acessem:


http://meetingofavela.blogspot.com/
http://meetingofavela.blogspot.com/
http://meetingofavela.blogspot.com/

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Quando a maioria das pessoas estão voltando de seus trabalhos, estudos e negócias no Centro da Cidade de São Paulo para as suas comodidades- ou não - sejam elas casas, abrigos, própiras ou alugadas, muitas vezes nem percebemos o que deixamos todos dos dias para trás, ou até mesmo abaixo do pisar de nossos pés. Pois bem, ai está uma pequena parte do que usamos,  fazemos e realizamos todos os "belos" dias, e o resultado de tudo isso, é isto:

 Av. São João-São Paulo/SP.

Tenhamos ótimas reflexos, pois, o que pra você é nada, pra muitas pessoas é a subsistência pra pode VIVER, ou simplesmente se ALIMENTAR!
APENAS ISSO, OU ISTO.

XXX

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

MAIS NOTÍCIAS PRA NÓIS DA ZONA LESTE.

Manifesto em Prol a Casa de Cultura de Ermelino Matarazzo.
Que não temos!

Nossa galera, quanta luta e quanta gente bonita e militante mesmo nesta caminhada, um viva pra todos/as nós que, participantes ou não nos dão uma tremenda ajuda pra lutarmos pelos nossos objetivos, sonhos e de conquistas.

No último sábado, dia 11 de dezembro participaram mais de 9 coletivos culturais da região de Ermelino Matarazzo para o Manifesto, organizado por nós mesmo em prol a Casa de Cultura, que, após muitos anos de LUTA, ainda não temos em nossa região.

O nosso Manifesto começou as 12:00 hs na Praça Benedito Ramos, centro de Ermelino Matarazzo (E.M.) com a presença dos coletivos: OS MESQUITEIROS, TENDA LITERÁRIA, MARGINALIARIA, SOUND BASS, BARRACO DAS IDEIAS, FINAL DE SEMANA CULTURAL, CAJU-PJ (CASA DA JUVENTUDE - PASTORAL DA JUVENTUDE), MUNDO EM FOCO, PERIFERIA INVISÍVEL, CULTURA NA PRAÇA, EXTREMOS ATOS, todos munidos do mesmo objetivo: manifestar as nossas ações culturais, apresentar nossas ações pra todas as faixas etárias e sem discriminar qualquer pessoa, e o mais bacana, ao AR LIVRE.

O nosso dia começou ao som do Coletivo Sound Bass tocando várias músicas, de rap ao samba embaixo de um sol escaldante que queimava toda a nossa pele e também as nossas narinas; em seguida rolou a apresentação teatral do Coletivo Periferia Invisível, um grande show: “Nós ficamos muito apreensivos com a apresentação, foi a 1ª vez que apresentamos uma peça ao Ar Livre, numa Praça Pública, foi diferente mas muito bacana” Bruno Veloso, Coordenador Artístico do Coletivo Periferia Invisível.

Logo após a apresentação de teatro, tivemos as meninas do Projeto: Os Mesquiteiros, como a maioria do coletivo são meninas, deveria chamar de: As Mesquiteiras, sendo assim, as meninas juntamente com o Educador, Poeta e um mano Porreta Rodrigo Ciríaco recitaram alguns poemas de autores/as periféricas e também apresentaram um pouco do que este coletivo, majoritariamente Feminino, apresenta na E.E. Jornalista Francisco Mesquita. Depois tivemos a apresentação do Projeto Marginaliaria, apresentando a arte de juntar, ao mesmo tempo: Música, Poesia Recitada e cantada, Teatro, tudo junto e bem misturado, com certeza mais uma apresentação alucinante e bem provocativa, para nós e para o poder público.

Estava indo tudo a 1000 maravilhas, porém aconteceu o que não esperávamos, quando o Projeto Marginaliaria saiu de cena – pois não tínhamos palco – o céu que estava bem azulzinho começou a mudar o tom de sua cor pra uma cor cinza forte e bem carregada, isso mesmo carregada de nuvens cheias de água, em questões de segundos caiu uma forte CHUVA sobre algumas cabeças e também sobre as tendas que estavam armadas na Praça. Resultado, todos/as se molharam, pelo menos os pés não ficaram a salva. 

A maioria das pessoas correram pra debaixo das tendas, cobrimos os aparelhos e instrumentos de som pra não perdermos na chuva. Um detalhe, após uns 30 minutos de chuva intensa o rio começou a encher e a nossa preocupação aumento na mesma hora, a chuva não parava de cair, levamos um susto grande quando um raio caiu bem próximo de nós botando a galera em pânico embaixo da tenda, mas mesmo assim ficamos até o fim da chuva e de repente o sol começou a raiar novamente, entre as nuvens cinzentas e avermelhadas que pairavam no horizonte... Infelizmente algumas apresentações foram prejudicadas por conta da chuva, mas nem por isso desistimos de fazer o que tínhamos planejado. Organizamos um cortejo e começamos a subir as ruas, vielas e becos da comunidade do Buraco Quente, para os mais conhecidos a Favela do Buraco Quente.

Galera, ai sim foi um momento cheio de emoções, agitações em parar das crianças, das mulheres, dos/as jovens, dos/as idosos/as, enfim dos moradores/as da região que contaminou profundamente o nosso objetivo: Queremos e muito um espaço cultural em nossa região.

Algumas pessoas saiam de suas casas, bares, vielas para verem o que estava acontecendo nas ruas estreitas da comunidade; neste momento íamos recitando alguns poemas periféricos, cantando músicas populares, enfim trocando muitas informações e experiências com a comunidade. O cortejo já tinha um local certo pra chegar, este lugar era a E.E. Jornalista Francisco Mesquita onde aconteceu um grande Sarau organizado pelas Mesquiteiras com a ajuda do Rodrigo Ciríaco, porém o mesmo Sarau mudou de nome, e se tornou o Sarau da Cultura da Z/L. Com muito suor, lágrimas e alegrias a flor da pele realizamos um grande evento de música, poesia e muita festa. Resultado disso foi a junção e o fortalecimento dos vários coletivos existentes em Ermelino Matarazzo pra juntos lutarmos pelos nossos anseios, desafios e pelas nossas conquistas.

Acredito que até aqui conseguimos passar um pouco do que aconteceu em nosso Manifesto e estamos mais do que decididos com as nossas propostas e idéias, e não iremos parar por aqui, pois isso tudo é apenas o re-começo de uma história que jamais terá fim.

Vamos que vamos!!!!!!!!!!!!!!
Nos encontraremos sempre na LUTA, pode acreditar!

Vander e Carla.






terça-feira, 14 de dezembro de 2010

NOTÍCIAS PRA ALIMENTAR A NOSSA LUTA!!!

Reunião para a Discussão sobre à Casa de Cultura de
Ermelino Matarazzo. 

Na última sexta feira do dia 10 de dezembro de 2010 aconteceu uma grande reunião na Paróquia São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo com algumas pessoas representando as Sub Prefeituras da Zona Leste pra discutirmos sobre os futuros eventos culturais que estão sendo planejados para o ano de 2011 e, no caso da Sub Prefeitura do Ermelino Matarazzo, sobre à Casa de Cultura que não temos.

Dentro desta perspectiva, as pessoas que estavam representando a nossa região defendeu incisivamente a proposta do nosso projeto, que é de construir uma Casa de Cultura para a nossa Comunidade e que seja, maximamente, organizada e administrada pela própria comunidade envolvida em ações culturais, sem menosprezar as outras ações existentes no bairro.




Uma das figuras mais importante do bairro estava presente na reunião pra somar um pouco mais com os coletivos, Padre Ticão, que, durante a sua longa vida sacerdotal sempre se dedicou as ações sociais, culturais e políticas, e desta vez ele veio pra contribuir conosco nesta luta: por condições favoráveis a comunidade e aos grupos culturais aqui existentes em busca de um espaço público e cultural.

O senhor, Carlos Augusto Calil, Secretário Municipal da Cultura não pode comparecer em nossa reunião, porém deixou marcado a sua visita em nossa região no próximo dia 16 de Dezembro, às 11:30hs da manhã na Paróquia  São Francisco de Assis (abaixo do texto seguirá mais informações sobre o local e endereço desta reunião).

Durante a reunião, as regiões presentes deram sugestões de suas necessidades, dentre estas regiões estavam presentes: S. MIGUEL PTA, S. MATEUS, PENHA, ITAIM PTA, porém somente a do ERMELINO MATARAZZO enfatizou a falta de um espaço cultural público, lembrando que em nossa região existe apenas um único espaço cultural que é a Biblioteca Municipal Rubens Borba de Morais, sendo que este equipamento público não favorece as necessidades dos coletivos, grupos e ações culturais da região. 


Este foi um momento de grande oportunidade para conhecermos outros coletivos que estão na luta, em prol da Casa de Cultura do Ermelino Matarazzo e também de apresentar propostas e de tirar algumas dúvidas com o Poder Público, dentre elas saber pra onde foi repassado o dinheiro direcionado para a Cultura em nossa região deste ano, 2010, sendo que o mesmo poderia ter dado início ao tão sonhado objetivo: a nossa Casa de Cultura.

Sendo assim, gostaríamos de deixar bem claro que, o Mundo em Foco apoia e incentiva a obtenção de um Espaço Público e Cultural pra nossa Ermelino Matarazzo e que não arredamos os nossos pés e convicções de que, poderemos realizar muitas atividades; em parcerias com outros coletivos da nossa região e também de outras, numa localidade que carece de infrainstrutura nesta área e que precisa urgentemente ser vista com outros olhares.

Estaremos presentes na reunião do dia 16 de Dezembro de 2010, às 11:30hs da manhã na Paróquia São Francisco de Assis, que fica na Av. Miguel Rachid, 997 em Ermelino Matarazzo, ao lado do ponto final do ônibus da Linha Vl. Paranaguá/ Estação da Luz-211-V.

Vamos que vamos, pois nos encontraremos na LUTA, SEMPRE!!!

Vander (xCHEx) e Carla.
Tenda Literária e Mundo em Foco.