quarta-feira, 3 de agosto de 2011

TEATRO + MÚSICA = ARTE NA PERIFERIA.


A gente pena, mas não pára

De 07 à 28 de Agosto de 2011, só aos Domingos
Início: 19:00
Direção: Binho Santana e Joara Fernandes
Duração: 35 minutos
Classificação Indicativa: 12 anos
Entrada: Ingresso Consciente
Elenco: Alan Alves, Cleiton Rodrigues, Diogo Gonçalves, Hamilton Fernandes, Laerte Alves, Marcelo Akanbi, Mayara Danielle, Michel, Randerson Barbosa, Victor Hugo Veloso.

O espetaculo musical "A gente pena, mas não pára" entra em cartaz no Periferia Invisível, com apresentações no mês de Agosto só aos Domingos entrada Ingresso Consciente

A gente pena, mas não pára.

Na periferia o pensamento é que não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta; não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver. Neste lugar invisível, onde o tempo não combina com o progresso e vem como doença, o único consolo é cair no suingue, pois aqui a vida não é mole e é preciso se segurar.

Usamos para nos expressar o funk, que é como tiro de canhão, rajada de metralhadora e o que não falta é munição, mas o que temos mesmo é um sonho popular de ser feliz, o problema é que isso é deprimente uma vez que, nossos filhos não têm escola, nossos velhos nem sequer têm os dentes. Essa injusta divisão, causada pelo aborto escancarado de parte deste país que, apesar de pop é pobre, mostra braços de terra negada, braços que pulam muros do mundo atrás de emprego.

Mundo esse onde Samuel L. Jackson e Charton Haston tem a mesma cor, a da violência. Lá eles acreditam em armas e abrem portas com dólares e euros, um beijo na pátria amada. Por aqui encontramos diversos nordestinos com o nome de jesus, e então nos perguntamos, só porque Jesus sofreu, eles também têm de sofrer? Apesar de tudo, pousamos num estado de aleluia sem religião ao vermos as borboletas voando na dança louca das borboletas, já que quem vai voar não quer cair.

É assim, avoado, que acontece o espetáculo onde o povo pena, mas não pára, realizado pelos alunos da oficina musical do Periferia Invisível, com direção de Binho Santana e Joara Fernandes. Um estudo de um ano que mistura interpretação teatral com interpretação musical será colocado à exposição do público e levanta uma questão, pois andamos mesmo descontente e desesperadamente gritamos em português: Até quando você vai levando porrada? Até quando vai ficar ai, parado, sem fazer nada?

Mas nada disso vale se eu to cantando, você dirigindo, o outro ta rezando, alguns se divertindo, muitos precisando e poucos conseguindo. Na verdade se todos realizassem algo, o mundo seguiria seu caminho.

(Bruno Veloso)


Local: Associação de Arte e Cultura Periferia Invisível
Rua Barra de Santa Rosa n°4405
Vila Císper  São Paulo SP CEP: 03817-000
Ao Lado do ponto final do Ônibus Vila Císper que sai do Metrô Tatuapé linha 2765 (Salão anexo a Paróquia Santa Luzia)

Um comentário:

Binho Santana disse...

e noz mano Che....